Tempo(s) de Mudança(s)

Artigo por Ana Sofia Nobre

 

“Tudo pode ser tirado a uma pessoa, excepto uma coisa: a liberdade de escolher a sua atitude em qualquer circunstância de vida” – Viktor Frankl

 

Se a memória não me falha, sempre que abordei assuntos como gestão de carreira, desenvolvimento pessoal e profissional, a palavra Mudança esteve sempre presente.

Quer estejamos a falar de transições de carreira voluntárias ou involuntárias, transições normativas, como a conclusão do ensino superior e entrada no mercado de trabalho, ou até, do ponto de vista conceptual, quando abordamos modelos de desenvolvimento de carreira.

A Mudança, efectivamente surge como pano de fundo, decorre dentro de nós enquanto indivíduos, onde salientamos o papel activo que cada um tem, na gestão da sua carreira, mas sem nunca descurar as mudanças que ocorrem no contexto em que estamos inseridos. Refiro-me às variáveis externas, sobre as quais não exercemos controlo, mas que têm sempre de constar na equação, devido à sua influência.

No entanto, estaria longe de imaginar ou estaríamos longe de imaginar, creio que poderei escrever-vos no plural, que as variáveis externas, poderiam vir a ser chamadas de pandemia, de infecção pelo novo Coronavírus (SARS-CoV-2).

Neste novo cenário, somos empurrados à velocidade da luz a vivenciar a palavra mudança, para além do sentido literal do termo, em todas as nossas dimensões de vida, quer seja no nosso dia-a-dia, no nosso modo de trabalho, de aceder a serviços e/ou nas nossas relações.

Face à actual situação, enquanto psicólogos é essencial que nos mantenhamos atentos às nossas necessidades, procurando desenvolver hábitos e rotinas que nos proporcionem bem-estar. O desenvolvimento pessoal e profissional do psicólogo, assenta na premissa de um conhecimento aprofundado sobre o seu principal instrumento de trabalho – o próprio.

“…a mudança, mesmo que nos tenha surpreendido, leva-nos a novas aprendizagens, dá-nos espaço de reflexão sobre os nossos valores, sobre o que é principal e acessório, assim como a importância do papel dos Psicólogos, face à actual situação

O Auto-Cuidado é essencial na nossa profissão e o caminho mais fácil, por vezes é sermos interpelados pelo ímpeto de cuidar dos outros, empurrando para um segundo plano o cuidado sobre nós mesmos.

Se actualmente está em casa, em modo teletrabalho, explore esta nova realidade e as suas potencialidades. As ferramentas digitais não só lhe permitem estar próximo da sua equipa e manter a dinâmica de trabalho, como manter o acompanhamento psicológico à distância (+ info: https://www.ordemdospsicologos.pt/pt/covid19/faq)

Equacione, se esta fase não será a ideal para tirar algum projecto que se tenha mantido na gaveta, por falta de tempo, ou para concluir algumas tarefas que têm ficado para segundo plano.

Será importante que continue a investir no desenvolvimento das suas competências pessoais e profissionais. Enquanto sugestão, na sua área pessoal na plataforma da OPP, tem o acesso a Bases de dados, que reúnem imensos artigos e publicações periódicas, que estão disponíveis de forma continuada; poderá frequentar os cursos de formação Valorizar.me, que actualmente se realizam todos à distância tendo em conta o plano de contingência;  frequentar os WebTalks que lhe permitem manter uma ligação próxima entre psicólogos em torno de determinado tema. Encontrará no espaço digital, muitas outras respostas em termos de formação à distância que poderão ser do seu interesse, explore.

Actualmente tem sido disponibilizado também por várias editoras, acessos a livros on-line, aulas que lhe permitem manter uma prática regular de exercício físico, programas culturais. Exemplos estes, que poderão ser recursos no seu dia-a-dia, potenciando o seu bem-estar, ou que poderá também divulgar, de modo a que estas alternativas possam ser equacionadas por mais pessoas.

O que é certo é que o isolamento físico não significa isolamento social, e a mudança, mesmo que nos tenha surpreendido, leva-nos a novas aprendizagens, dá-nos espaço de reflexão sobre os nossos valores, sobre o que é principal e acessório, assim como a importância do papel dos Psicólogos, face à actual situação.

Que esta nova realidade não nos desligue da importância de investirmos enquanto Psicólogos no nosso Auto-Cuidado e que não seja também sinónimo de abrandamento do nosso potencial de desenvolvimento, muito pelo contrário.

Porque em qualquer quadro negativo, como é esta pandemia, continua sempre a coexistir um lado positivo.